17/11/2015 12h38

Brasil e Peru jogam hoje nas Eliminatórias 2018

CBF Treino da seleção brasileira no palco do jogo de hoje em Salvador pela quarta rodada das Eliminatórias.

A seleção brasileira está em 4° lugar com quatro pontos, 5 a menos que o líder Equador, que já soma 9 pontos e 100% de aproveitamento até aqui

 

Dunga deu mais uma entrevista sem muitas pistas. Não falou sobre escalação, bateu em velhas teclas e respondeu perguntas repetidas, como sobre o pouco tempo para treinar sua seleção ou a situação de Neymar, que tratou uma dor de dente nos dois últimos dias, mas, segundo o técnico, está bem e trabalhando em campo como se nada houvesse acontecido. Ele vai enfrentar o Peru hoje, às 21h (de MS), em Salvador na Arena Fonte Nova.

“Cada jogo tem uma história, depende das características dos nossos jogadores e da equipe adversária. Para um determinado jogo, um jogador tem rendimento que se encaixa melhor. Para outro pode ser diferente”, disse o treinador em relação ao compromisso de logo mais.

O treinador falou das qualidades da equipe brasileira, a qual taxou de competitiva e “que usa qualidade técnica”. “Não é novidade para ninguém como são disputadas as eliminatórias. Encontramos adversários fortes nos primeiros jogos e temos que somar pontos o mais rápido possível. Vamos tentar surpreender o adversário”, disse.

No entanto, sobre a entrada de alguns jogadores o técnico foi um tanto vago nas respostas. Sobre Douglas Costa, por exemplo, disse ter gostado do jogo contra a Venezuela. Ainda sobre peças, a entrada de Gil no lugar de David Luiz foi comentada. “A forma de jogar continua a mesma. Muda a característica do jogador e de quem está ao lado, cabe a ele se adaptar à característica do companheiro, mas a Seleção tem sua forma de jogar”, respondeu o técnico.

Dunga falou sobre a dificuldade em se formar um time ideal, principalmente pela reunião esporádica dos atletas e as lesões que atrapalham. “Não dá para se reunir a cada mês, ter um treinamento, e dizer que é o time ideal ou o padrão de jogo. Se você colocar as horas de treinamento da Seleção, fica difícil falar em time ideal”, pontuou.

O treinador ainda lembrou que seria bom se houvesse mais tempo para aproveitar da melhor maneira possível, tentar corrigir as coisas com conversas ou vídeos. “Não podemos desgastar muito os jogadores para eles terem energia suficiente na hora do jogo”, disse.

Sobre a cobrança da torcida brasileira, Dunga pediu compreensão. “O torcedor está assistindo às eliminatórias, não só aos jogos do Brasil. Sabe da importância de apoiar sua equipe. Os gols saem no segundo tempo, detalhes decidem, é preciso ter paciência sem morosidade, e o torcedor precisa compreender. Mas também temos que estar preparados para enfrentar isso”, disse.

o progresso

Vídeos

  • Com adversidades climáticas, produtividade média do milho está próxima de 45 scs/ha em Laguna Carapã (MS)
  • A face de quem produz
  • Juvenil CTG Recanto da Laguna 27º FEGAMS

Agenda

Publicidade