15/08/2016 09h11

Brasil ganha prata com Diego Hypolito e bronze com Arthur Nory no solo

Foto O Globo Dobradinha brasileira na ginástica artística masculina

As finais por aparelhos na ginástica artística sempre trazem emoção. Na tarde deste domingo, o solo abriu as decisões na Arena Olímpica, na Barra da Tijuca, e trouxe um momento de felicidade para o Brasil. Na verdade dois. Com apresentações impecáveis, Diego Hypolito e Arthur Nory conquistaram a prata e o bronze, respectivamente, na prova, um pódio histórico para a ginástica brasileira. Já o novo campeão olímpico é o britânico Max Whitlock.

Uma lenda na ginástica, o japonês Kohei Uchimura era um dos favoritos ao ouro, mas errou ao terminar a primeira de suas acrobacias, quando colocou os pés para fora do tablado. Isso prejudicou a nota do atleta, que ficou em 15.241.

Diego Hypolito veio logo em seguida, sendo ovacionado pela torcida brasileira na arena. A cada acrobacia bem executada, o ginasta ganhava gritos do público e foi aplaudido de pé quando finalizou a sua apresentação sem erros. A recompensa veio com a nota: 15.533. O ginasta não gostou da nota, disse que "foi baixa", mas foi melhor do que a da sua classificatória.

A espera foi pelas notas de mais seis adversários para ver se ficaria no pódio. O britânico Max Whitlock veio logo em seguida e ultrapassou Hypolito, com uma nota 15.633. O também britânico Kristian Thomas garantiu 15.058.

O quinto a se apresentar foi Arthur Nory. Estreante em Jogos Olímpicos, o brasileiro ganhou o carinho da torcida antes de executar a sua série. Com boas acrobacias, como um duplo mortal carpado e rodada flip, o atleta saiu sem erros e festejou muito quando finalizou a apresentação. Na nota:15.433, acima da que ele obteve na classificatória (15.200).

Nas apresentações finais da série, o norte-americano Jacob Dalton conseguiu uma nota 15.133, deixando Hypolito nervoso. Ainda restavam mais dois. Um deles era o atual campeão olímpico, o japonês fez uma péssima apresentação, quando caiu quase duas vezes e com uma série de erros, conseguiu apenas uma nota 15.366.

Neste momento, Hypolito já chorava de felicidade porque já estaria no pódio. Faltava saber se em segundo ou terceiro. Nory também dependia apenas da nota do norte-americano Samuel Mikulak. Com uma apresentação mediana, ele recebeu a pior notas entre os oito ginastas, com 14.333.

Assim, em uma tarde histórica de domingo, Hypolito e Nory choraram, se abraçaram e festejaram as medalhas históricas!
- Em Pequim caí de bunda, em Londres caí de cara. E dessa vez consegui. Povo brasileiro, jamais desistam dos seus sonhos. Se o meu foi possível, o de vocês também é - disse Diego.

 

Extra.com

Vídeos

  • Com adversidades climáticas, produtividade média do milho está próxima de 45 scs/ha em Laguna Carapã (MS)
  • A face de quem produz
  • Juvenil CTG Recanto da Laguna 27º FEGAMS

Agenda

Publicidade