29/11/2016 07h30

Tragédia: avião da Chapecoense cai na Colômbia e 75 morrem

Foto: EFE Vítimas do voo são resgatadas na região de Rio Negro, na Colômbia

O avião que transportava o time de futebol da Chapecoense sofreu um acidente na Colômbia. Segundo as autoridades, 75 pessoas morreram. Entre os sobreviventes estão Alan Ruschel, Hélio Zampier Neto, Jackson Follmann e uma comissária. O jogador Marcos Danilo Padilha chegou a ser levado para o hospital, mas não sobreviveu.

O avião da companhia aérea Lamia que levava o time catarinense caiu na madrugada de hoje (29/11), com 81 pessoas a bordo, sendo 72 passageiros e 9 tripulantes, entre os municípios de La Ceja e La Unión, na Colômbia. Segundo o controle aéreo da região, o avião informou ter sofrido uma falha elétrica.


A Chapecoense viajava a Medellín, onde a equipe disputaria a final da Copa Sulamericana amanhã contra o Atlético Nacional. O avião se chocou com o solo em uma região montanhosa na cidade de La Union. O Corpo de Bombeiros informou que o piloto soltou o combustível ao longo de voo para evitar uma explosão.

O voo partiu de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia. A causa do acidente ainda não foi esclarecida.

Mudança de voo
A delegação da Chapecoense teve de mudar seu voo para Colômbia na segunda-feira (28) por uma decisão da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), que impediu a viagem para Medellín em um voo charter, por isso a time teve de embarcar no avião comercial que se acidentou pouco antes de chegar na cidade colombiana.

Mudar de avião e deixar a cidade de São Paulo duas horas depois do previsto pelos diretores do clube catarinense foi o início de uma tragédia cuja sua verdadeira magnitude ainda é desconhecida.

A Chapecoense jogaria na quarta-feira (30), em Medellín, a primeira partida da final da Copa Sul-Americana, contra o Nacional de Medellín, e pretendia viajar para a cidade colombiana em um voo fretado, que não foi autorizado pela ANAC.

Os diretores da equipe catarinense mudaram a programação e fizeram conexão para a Colômbia a partir do Aeroporto Internacional Viru Viru, em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, em um voo da companhia aérea LaMia.

A aeronave tipo RJ85 e matrícula CP2933, com nove tripulantes e 72 passageiros, era aguardada no Aeroporto Internacional José María Córdova, em Medellín.

A comissão técnica da Chapecoense, comandada pelo técnico Caio Júnior, tinha planejado chegar na madrugada desta terça-feira ao hotel e treinar horas depois no estádio Atanasio Girardot, local da partida, o compromisso mais importante da história do time catarinense fundado há 43 anos.

O presidente do Nacional de Medellín, Juan Carlos de la Cuesta, disse estar consternado com a notícia e ao lado de outros diretores do clube seguiu para o local do acidente.

No Brasil, o presidente Michel Temer lamentou a tragédia com a equipe de futebol e decretou luto oficial de três dias pela tragédia aérea com o time da Chapecoense na Colômbia.

O governo de Santa Catarina lamentou hoje (29) o acidente aéreo que fez vítimas entre a delegação da Chapecoense, jornalistas e tripulação. O avião seguia para Medelin, na Colômbia, onde seria disputada a primeira final da Copa Sul-Americana, e caiu no município de La Ceja, já nas proximidades de seu destino.

"O governo de Santa Catarina lamenta profundamente a tragédia com a delegação da Chapecoense, jornalistas e tripulação do voo. Solidariedade às famílias", publicou em sua conta no Twitter.

O prefeito reeleito de Chapecó, Luciano Buligon (PSB-SC) e o deputado estadual Gelson Merisio (PSD-SC), presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, estava entre os 72 passageiros listados para voar para a Colômbia no voo da Chapecoense que caiu nas proximidades de Medellín, mas não embarcaram.

"Nós estávamos previstos para estar nesse voo. Inicialmente a gente iria num voo fretado, mas a ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) não liberou e nós optamos por ir em voo regular hoje de tarde. Mas voltaríamos nesse voo (que caiu)", contou Buligon à Rede Globo. Em nota, a prefeitura de Chapecó relatou que o prefeito está em São Paulo e partiria a Colômbia em voo comercial, à tarde. "A Prefeitura de Chapecó manifesta profunda preocupação com o lamentável ocorrido, solidariza-se com todos os envolvidos e aguarda novas informações", disse a prefeitura.


CBF
A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) suspendeu oficialmente o segundo jogo da final da Copa do Brasil, que aconteceria nesta quarta-feira (30), por conta do acidente com o avião da Chapecoense. Mais informações sobre o duelo entre Grêmio e Atlético Mineiro serão dadas ao longo do dia.

(com Estadão Conteúdo, Agência Brasil, Agência Ansa e EFE)

Época

Vídeos

  • Com adversidades climáticas, produtividade média do milho está próxima de 45 scs/ha em Laguna Carapã (MS)
  • A face de quem produz
  • Juvenil CTG Recanto da Laguna 27º FEGAMS

Agenda

Publicidade