25/07/2016 13h07

Sig prende mais de 100 bandidos de alta periculosidade em Dourados

Foto: Hedio Fazan Delegado Mateus Zampieri (SIG e NRI) e Lupersio Degerone, delegado Regional da Polícia Civil.

Setor de Investigações Gerais e Núcleo Regional de Inteligência da Polícia Civil de Dourados batem recorde de 10 anos na solução de crimes de roubos e homicídios na maior cidade do interior do MS

 

Especializados em investigar e combater crimes de maior gravidade, o Setor de Investigações Gerais da Polícia Civil (SIG) em trabalho integrado com o Núcleo Regional de Inteligência (NRI) já tiraram de circulação mais de 100 bandidos de alta periculosidade. Foram 137 criminosos somente nos primeiros seis meses de 2016 em Dourados, batendo recorde de 10 anos em elucidação de crimes que exigem maiores esforços, principalmente de inteligência da Polícia Judiciária. Se comparado com o mesmo período do ano passado, o SIG/NRI já solucionou 20% a mais de crimes.

De acordo com o delegado Regional da Polícia Civil de Dourados, Lupersio Degerone, o foco do SIG e NRI são casos graves e de grande repercussão como homicídios, assaltos em residências, roubos de veículos, dos quais muitos deles a mando de facções criminosas que atuam dentro e fora dos presídios.

Neste sentido, somente em 2016, mais de 20 bandidos pertencentes a 04 quadrilhas especializadas em roubos de veículos foram presos e os grupos desarticulados. Cinco casos de latrocínio foram registrados em Dourados no primeiro semestre, sendo todos solucionados.

Também atuante no combate ao tráfico de drogas, em 2016 o SIG/NRI já computam mais de meia tonelada de drogas apreendidas. A quantidade de entorpecente é significante tendo em vista que foram retiradas de circulação drogas que seriam comercializadas no município, exigindo trabalho exaustivo de investigação e inteligência policial.

"São situações em que essas substâncias chegam em Dourados e são escondidas em depósitos ou bocas de fumo, fomentando o tráfico local em pontos estratégicos, o que influencia diretamente nos crimes de furto e roubo cometidos por usuários que buscam dinheiro para manter o vício", destaca o delegado, observando que no mesmo período, também foram apreendidas 17 armas de fogo que eram utilizadas para o cometimento de crimes contra a vida e contra o patrimônio.

O delegado chefe do SIG e do NRI, Mateus Zampieri diz que o número de elucidações de crimes pelo SIG de Dourados está muito acima da média brasileira para cidades com mais de cem mil habitantes. "Enquanto no resto do Brasil os crimes como roubos e homicídios vêm aumentando, em Dourados temos registrado redução desses casos nos últimos anos", destaca. O delegado atribui os resultados a maiores investimentos em recursos humanos, aperfeiçoamento constante dos policiais lotados no SIG e NRI, investimentos em tecnologia para o serviço de inteligência e a uma reestruturação que possibilitou ao Setor atender especificamente esses crimes de maior gravidade.

"Quando se trata de delito de maior gravidade, o SIG é prontamente acionado, a qualquer dia ou hora, e as equipes se empenham ao máximo para obter os resultados esperados pela população. Nossos policiais buscam constantemente o aperfeiçoamento em técnicas de investigação e utilização de ferramentas tecnológicas que auxiliem na elucidação dos crimes e prisão dos criminosos. Também a implantação do Núcleo de Capturas, que é um serviço novo voltado especificamente para o cumprimento de mandados de prisão, tem apresentado excelentes resultados, liberando os demais policiais para atuarem exclusivamente na investigação. Somando os investimentos realizados no Núcleo de Capturas, no Núcleo Regional de Inteligência e no Setor de Investigações Gerais, temos como resultado respostas positivas para a sociedade, que chegam cada vez mais rápidas, eficientes e precisas, com maior qualidade nos inquéritos policiais que servem de base para os futuros processos criminais", explica.

O delegado Zampieri destaca, ainda, que "mesmo com recursos de inteligência e com toda a dedicação dos policiais, nossa principal aliada ainda é a população, pois as informações enviadas por aqueles que acreditam e confiam no trabalho policial são fundamentais para que os resultados esperados sejam alcançados."

Crimes

Para o Delegado Regional de Polícia de Dourados, Lupersio Degerone, os crimes de latrocínio são os que mais chamam a atenção devido a uma tendência nacional de aumento do uso da violência nos crimes contra o patrimônio. Segundo Degerone, esses crimes em grande parte são cometidos por usuários de drogas, destacando que "hoje em dia a banalização da violência e legislação branda faz com que o preso não cumpra sequer a metade da pena a que é condenado, fazendo com que crimes cada vez mais bárbaros e que chocam a população aconteçam com maior incidência. Felizmente o trabalho diário do SIG e NRI buscando identificar e prender os autores desses crimes, aliado aos esforços das demais forças de segurança que atuam no município e do Poder Judiciário que também tem se mostrado um importante aliado nessa luta, temos conseguido dar a resposta esperada pela população douradense. Aqui esses criminosos podem ter a certeza de que não descansaremos enquanto não forem identificados, localizados e presos", alerta.

Casos de Repercussão

Casos com grande repercussão no meio foram solucionados este ano pelo SIG e NRI. Um dos mais recentes foi o latrocínio que vitimou o taxista Valdir Luiz da Silva, conhecido como Zé Rico. Em menos de 24h depois do crime, o SIG prendeu os criminosos, que foram autuados em flagrante. As investigações mostraram que os autores objetivavam roubar dinheiro da vítima e não o táxi. Ambos são indiciados confessos. Conforme noticiou O PROGRESSO, a vítima foi assassinada com mais de dez facadas. O crime ocorreu na rua Nelson Senatore, no bairro Jardim Universitário.

Em fevereiro deste ano o SIG, em parceria com a Delegacia de Repressão aos Crimes de Fronteira, prendeu três acusados de participar de tentativa de latrocínio contra o comerciante Waldomiro Cardoso, que tinha uma banca de camelô na área central de Dourados. O crime teria sido encomendado de dentro do presídio.

Em março deste ano o SIG/NRI acabou com um esquema de tráfico de droga que atuava na cidade, prendeu seis pessoas em Dourados e apreendeu 103 tabletes de maconha, totalizando 78 quilos, 200 gramas de cocaína e um revólver calibre 38. Os flagrantes ocorreram após investigações que apontaram que a casa de um dos acusados era usada como depósito do entorpecente.

Das quatro quadrilhas de roubos a residências e veículos presas este ano, uma delas desarticulada em março, chamou atenção o envolvimento de menores de idade, demonstrando o ingresso cada vez mais cedo no mundo do crime. Era especializada em fazer famílias reféns em residências para roubar veículos em Dourados e região. Cinco foram presos, três adolescentes foram apreendidos e encaminhados para a Unei (Unidade Educacional de Internação) e foram expedidos mandados de prisão para mais quatro que são considerados foragidos.

Em abril, o SIG prendeu dois assaltantes que balearam uma empresária durante uma tentativa de roubo. Na ocasião quatro pessoas, além da vítima baleada, foram rendidas e ficaram na mira dos assaltantes. Eles procuravam dinheiro no local, porém, não encontraram e levaram o aparelho celular da mulher. Antes de sair, efetuaram dois disparos e um deles atingiu as costas da vítima.

Em maio deste ano, outro fato que chamou a atenção foi a prisão de um garagista de 39 anos, autor de um duplo homicídio ocorrido no dia 5 de abril na BR-163, próximo ao aeroporto da Aplic, saída para a cidade de Caarapó. As vítimas seguiam pela rodovia BR 163 numa Honda CG Titan vermelha, placa HTH-8523, de Caarapó, quando foram abordadas pelo autor, que estava numa camionete Toyota Hilux da cor preta e desferiu vários disparos de arma de fogo.

Em junho, uma quadrilha acusada por uma série de furtos de motos foi presa por equipes do SIG/NRI, sendo apurado que o grupo realizava os furtos na cidade de Dourados e levava os veículos para a cidade de Laguna Carapã.

No último dia 15, mais um trabalho em conjunto realizado por policiais do SIG e NRI frustrou roubo de um caminhão na modalidade chamada de "golpe do falso frete", próximo ao Trevo da Bandeira, em Dourados. Duas pessoas acabaram presas em flagrante, depois de renderem o motorista. Com os criminosos foram encontradas um revólver, doze munições e materiais que seriam utilizados para amarrar e vendar a vítima que ficaria em cativeiro até o veículo transpor a fronteira com o país vizinho. Uma terceira pessoa também é investigada de participação no crime.

O Progresso

Vídeos

  • Com adversidades climáticas, produtividade média do milho está próxima de 45 scs/ha em Laguna Carapã (MS)
  • A face de quem produz
  • Juvenil CTG Recanto da Laguna 27º FEGAMS

Agenda

Publicidade