03/02/2017 07h54

Colheita da soja alçanca 3,2% da área no Mato Grosso do Sul

SF Agro Em Laguna Carapã a colheita está avançada

Laguna Carapã está com a colheita avançada, com cerca de 6% da área já concluída.

A estimativa era de que até o dia 27 de janeiro cerca de 5% seria retirada dos campos, mas as chuvas interromperam os trabalhos.

O último relatório do projeto Siga MS (Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio), divulgado nesta quarta-feira (01/02) pela Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul (Aprosoja/MS), aponta que 3,2% da área plantada de soja no estado foi colhida até o momento.

 

As informações constam na Circular Técnica N° 194, que pode ser conferida na íntegra por meio de cadastro gratuito.  Antes, a estimativa era de que até o dia 27 de janeiro cerca de 5% da soja seria retirada dos campos. No entanto, as chuvas registradas na semana passada interromperam os trabalhos em vários municípios produtores.

 

A região sul do estado está com porcentagem média de área colhida mais avançada, em torno de 3,9%, enquanto a região norte está com 2,3% de área colhida e, a região centro, com 1,7% da colheita finalizada.

 

De norte a sul

De acordo com a tabela apresentada na circular, 20 das 22 cidades do sul do estado acompanhadas pelo Siga MS neste levantamento iniciaram a colheita, e apenas Jardim e Bonito não iniciam o processo. Amambai, Antônio João, Aral Moreira, Coronel Sapucaia e Laguna Carapã são as mais avançadas da região sul, com 6% da área concluída.

No centro do estado, das sete cidades da região, quatro começaram a colher: Campo Grande, Nova Alvorada do Sul, Rio Brilhante e Sidrolândia, estando de fora, até o momento, Bandeirantes, Jaraguari e Terenos. A cidade mais avançada é capital, com 3% da produção colhida.

Na região norte, das 10 cidades dessa área, cinco começaram a tirar a soja dos campos: Alcinópolis, Chapadão do Sul, Costa Rica, São Gabriel do Oeste e Sonora. Ainda não começaram a colheita Camapuã, Coxim, Paraíso das Águas, Pedro Gomes e Rio Verde. As cidades mais avançadas são Chapadão do Sul e Costa Rica, com 5% da área colhida.

Em relação à safra 2015/2016, a porcentagem de área colhida neste ciclo 2016/2017 é inferior em aproximadamente 5,6% para a data de 27 de janeiro. Devido às condições climáticas registradas nesta safra, com veranicos ou chuvas muito esparsas, o tempo de vida da planta no campo foi maior, causando esse pequeno atraso médio de percentual de colheita.

Projeções da safra

A comparação entre os números projetados para a safra 2016/2017 e os números finais da safra 2015/2016 indicam, até o momento, aumento da área plantada de aproximadamente 2,4%. Com isso, MS passa de 2,46 milhões de hectares plantados no ciclo anterior para 2,52 milhões de hectares semeados nesta safra 2016/2017.

 

Além disso, estima-se acréscimo de 2,4% em relação à produção do grão (de 7,601 milhões de toneladas na safra 2015/2016 para 7,787 milhões de toneladas na safra 2016/2017) e manutenção na produtividade, com 51,5 sacas por hectare.

SF Agro

Vídeos

  • Com adversidades climáticas, produtividade média do milho está próxima de 45 scs/ha em Laguna Carapã (MS)
  • A face de quem produz
  • Juvenil CTG Recanto da Laguna 27º FEGAMS

Agenda

Publicidade