21/09/2018 16h23

Em Laguna Carapã (MS), produtores iniciam plantio da safra nova após bons volumes de chuvas

Melhor janela de cultivo da soja na região é de 25 de setembro a 15 de outubro. Nesta temporada, alguns contratos foram realizados entre R$ 72,00 a R$ 73,00, mas produtores acompanham a movimentação do dólar. No milho, finalização da colheita da safrinha confirma quebra de até 50% na produtividade em algumas propriedades.
 

Na região de Laguna Carapã/MS, os produtores rurais já iniciaram o plantio da safra 2018/19 da soja após a chegada das chuvas, sendo que a melhor janela de cultivo na localidade é de 25 de setembro a 15 outubro. No entanto, as negociações estão em ritmo lento em função da valorização cambial e do período eleitoral.

De acordo com o Técnico Agrícola da Casa da Lavoura de Dourados, Antônio Rodrigues Neto, foram poucos agricultores que conseguiram realizar o plantio, pois houve atrasos na colheita do milho safrinha. “Até o momento, foi uma porcentagem bem pouca que conseguimos cultivar. Nós estamos aguardando a terra para dar andamento aos trabalhos no domingo”, afirma.

Nesta temporada, poucos produtores rurais tiveram problemas com a entrega dos fertilizantes. “As compras dos insumos foram muito bem organizadas pelas as cooperativas e os agricultores são bastante planejados. Por isso, nós conseguimos receber os produtos”, comenta.

Em relação aos investimentos em tecnologia, o técnico destaca que os produtores estão fazendo a adubação e controle das ervas daninhas de forma correta. “O aumento em tecnologia gera um aumento nos custos, mas os investimentos trazem bons resultados de produtividade”, conta.

Preços

Atualmente, as referências para a saca da soja estão ao redor de R$ 72,00 a R$ 73,00. “As negociações estão bem enxutas e os produtores estão um pouco preocupado com a questão do dólar e do momento eleitoral que podem afetar a formação de preços”, diz. 

Milho

No caso do milho, a colheita já foi finalizada e confirmou uma quebra de produtividade próxima de 50% em locais pontuais. Com isso, muitos produtores rurais tiveram que acionar o seguro das propriedades. “Ainda bem que o preço do cereal ajudou a compensar as perdas. No início do plantio algumas áreas chegaram a apresentar bons níveis de produtividade, mas com o decorrer do tempo o rendimento diminuía”, ressalta.

O técnico salienta que muitas áreas foram colhidas para cumprir os contratos fechados antecipadas, em que os preços estavam próximos de R$ 23,00 a R$ 25,00 a saca. “O agricultor teve um prejuízo no contrato que foi feito e a quantidade que foi colhida depois não teve um nível de sacaria muito alto para comercializar”, completa. 

Por: Fernanda Custódio e Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas

Notícias Agricolas

Vídeos

  • Acompanhamento de safra do milho com João Firmino, Presidente do Sindicato Rural
  • Presidente do Sindicato Rural fala sobre atraso da Colheita devido a chuva
  • Invernada Juvenil do CTG Recanto da Laguna

Agenda

Publicidade