25/09/2019 16h40

Plantio da safra de soja 2019/20 já começou, mas ainda de maneira pontual

Assim como as chuvas neste final de setembro, que caem em algumas regiões de maneira esparsa, o plantio da safra de soja 2019/20 já começou em alguns pontos do Brasil, seguindo o padrão irregular das precipitações.

Alguns municípios que receberam pequenas quantidades de chuvas no último final de semana como Sorriso no Mato Grosso e Cerejeiras em Rondônia já iniciaram a semeadura, que ainda é restrita as propriedades que registraram as chuvas.

Segundo o presidente do Sindicato Rural de Sorriso/MT, Tiago Stefanello Nogueira, o plantio já acontece nas lavouras irrigadas e começou em algumas áreas do município, que aguarda mais precipitações nesta semana para que os trabalhos sigam avançando.

Situação similar ocorreu em Cerejeiras/RO, de acordo com presidente do Sindicato Rural, Jair Roberto Gollo, os produtores tem até meados de novembro para finalizar o plantio que começou nesta segunda-feira (23) nas áreas que receberam chuva. O município deve ainda registrar aumento na área plantada entre 5 e 10% nesta safra.

Ainda nesta segunda-feira, o Imea (Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária) divulgou seu boletim semanal dando conta de que 27,22 mil hectares haviam sido semeados até a sexta-feira (20), o que representa 0,28% da área total estimada para a safra 19/20. Já na safra passada, 2018/19, este número já era de 79,58 mil hectares ou 0,83% da área.



“Vale ressaltar que as condições climáticas eram favoráveis ao avanço da semeadura. Já no momento atual, grande parte dos produtores está aguardando melhores condições para iniciar os trabalhos de campo, na medida que os atrasos nas precipitações podem dificultar a germinação e o desenvolvimento da oleaginosa, restando ao produtor ter cautela, visto que esta é uma das safras com os maiores custos da história”, aponta a publicação.

Já em Pato Branco no sudoeste do Paraná o plantio já atingiu mais de 50% do total de área que será cultivada. O presidente do Sindicato Rural, Oradi Caldato, conta que logo após o término do vazio sanitário em 10 de setembro os trabalhos já foram iniciados, mesmo com chuvas muito menores do que a média histórica.

“As precipitações de junho até setembro foram as piores desde 1979, então os produtores iniciaram o plantio com bastante receio já que faltava umidade no solo. Havia a previsão de chuvas na sequência e isso aconteceu de maneira suficiente, com até 50mm na última sexta-feira (20)”, diz Caldato.

 

Plantio em Pato Branco/PR

Aposta nas chuvas

O município de Laguna Carapã no Mato Grosso do Sul também iniciou o plantio na última segunda-feira (23), porém o município não registrou chuvas nesta final de semana e nem nos últimos dias, e a aposta é pela volta das precipitações na quarta-feira (25), na próxima terça-feira (01) e depois nos dias 4, 5 e 6 de outubro.

Plantio soja Laguna Carapã

O técnico agrícola da Casa da Lavoura de Dourados em Laguna Carapã, Antônio Rodrigues Neto, comenta que está é uma medida arriscada e que o sucesso da safra fica condicionado à confirmação das previsões climáticas.

Plantio soja Laguna Carapã

“O produtor da região investiu bastante nesta safra de soja e já comprou parte dos insumos para a segunda safra de milho de 2020. Então um atraso no plantio da soja pode acabar com a janela ideal do milho, o que prejudicaria muito a produção da safrinha”, diz Neto.


Melhores condições em outubro

Em entrevista ao Notícias Agrícolas no final da última semana, a diretora da Rural Tecnologia, Cristina Queiroz, demonstrou que o sistema CropView indica melhores condições de plantio da soja a partir do dia 10 de outubro, especialmente para o Centro-Oeste brasileiro.

Queiroz simulou as condições de plantio para os estados de Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul no dia 1 de outubro.  “Nós estamos enfrentando uma estiagem e o déficit hídrico está maior do que a média histórica dos últimos dez anos. O sistema mostra que após o plantio terá um excedente menor de água no solo se comparado com os anos anteriores”.

No entanto, considerando um cultivo de soja no dia 15 de outubro o cenário é outro e os riscos ficam menores.  “A sinalização não muda, mas os volumes começam a aumentar. Ao que tudo indica, as plantas entram em desenvolvimento vegetativo com bons volumes de água”, reforça.

 

Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

Noticias Agricolas

Vídeos

  • Entrevista com Jonas Veiga Oliveira - Produtor Rural em Laguna Carapã/MS
  • Informativo Câmara 01
  • Informativo Câmara

Agenda

Publicidade